Carta do leitor: Estádios entregues à sorte

Carta do leitor: Estádios entregues à sorte

Saudações cordiais, caro coordenador!

Quem diria que 11 anos depois de termos realizado o Campeonato Africano de Futebol, em 2010, as imagens que nos seriam dadas a ver dos estádios construídos seriam aquelas que nos foram brindadas pela Tv Zimbo.

A cada dia que passa teremos que concordar que a manutenção não é o nosso forte, isso sem contar com os amigos do alheio que nada mais fazem senão delapidar os cofres públicos e tudo aquilo que é feito ao seu redor.

É triste que passados estes anos todos, não exista sequer uma gestão privada e muito menos um plano que fizesse com que se tivesse um melhor aproveitamento.

A gestão moderna transforma os campos de futebol numa grande valência, com lojas, restaurantes e outros atractivos, o que acabaria por directamente engordar também os cofres públicos.

O que temos vindo a assistir são infraestruturas que posteriormente vão exigir uma intervenção do Estado, quando existem outras prioridades. Estamos certos de que esta situação já repousa na mesa do Presidente da República. Aliás, foi por isso que o próprio desabafou no encontro com os líderes das federações que não se pode permitir a degradação e defendeu a necessidade da inclusão dos privados na gestão dos estádios. O tempo urge, enquanto ainda se podem salvar alguns.

Exceptuando o estádio 11 de Novembro, que ainda vai tendo algumas actividades, o do Tchiazi, de Ombaka e até mesmo o do Tundavala estão distantes dos objectivos inicialmente preconizados.

Privatize-se ou se entregue a alguns clubes para que estes tenham mais meios de rentabilização.

Por: Mário de Rosário
Luanda