Irão anuncia flexibilização das sanções sobre o seu programa nuclear

Irão anuncia flexibilização das sanções sobre o seu programa nuclear

As partes do Plano de Acção Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), também conhecido como acordo nuclear iraniano, concordaram em retirar várias pessoas e entidades das listas de sanções contra Teerão, durante as negociações em Viena

O anúncio foi feito pelo vice-ministro das Relações Exteriores do Irão, Abbas Araghchi, neste Sábado (01), destacando que as discussões ainda estão em andamento.

“Houve um acordo para remover os nomes de muitas pessoas, indivíduos e organizações das listas de sanções, mas há outros que ainda estão nessas listas por vários motivos. As nossas negociações nesta parte do trabalho ainda estão em andamento”, disse Araghchi em comunicado.

O JCPOA foi assinado pelo Irão, em 2015, em conjunto com a China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido, EUA, Alemanha e União Europeia. O acordo exigia que o Irão reduzisse o seu programa nuclear e as reservas de urânio em troca de alívio das sanções, incluindo a suspensão do embargo de armas cinco anos após a adopção do acordo.

Em 2018, os EUA abandonaram o acordo durante a administração de Donald Trump (2017-2021) e aplicaram rígidas sanções contra Teerão.

O Irão aprovou, em Dezembro de 2020, uma lei para aumentar o seu enriquecimento de urânio e limitar as inspecções da ONU às suas instalações nucleares em resposta à morte do cientista nuclear Mohsen Fakhrizadeh. Teerão tem afirmado que regressará imediatamente ao cumprimento pleno do acordo nuclear assim que as sanções ao país sejam retiradas.