Governo gasta 22 mil milhões de Kwanzas/mês com pagamento aos pensionistas

Governo gasta 22 mil milhões de Kwanzas/mês com pagamento aos pensionistas

Apesar dos constrangimentos causados pela pandemia da covid-19, que, desde Março do ano passado, vem assolando o mundo inteiro, o Executivo assegura que tem atendido as preocupações legais dos pensionistas em todo o país

Ao contrário dos anteriores 17 mil milhões, actualmente o Governo angolano, por via do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) gasta, mensalmente, um valor na ordem dos 22 mil milhões de kwanzas em pagamento aos pensionistas em todo o país, deu a conhecer o secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social, Pedro Filipe.

O governante, que falava num recente briefing com jornalistas, deu a conhecer que, apesar dos constrangimentos causados pela pandemia da Covid-19, que, desde Março do ano passado, vem assolando o mundo inteiro, o seu órgão ministerial tem atendido às preocupações legais dos pensionistas em todo o país, assegurando os direitos que lhes são devido. Entretanto, nesta base, referiu que, à semelhança de outros indicadores, o grupo de pensionistas sofreu um incremento considerável. Conforme explicou, até Março de 2020, o país dispunha de uma base de 160 mil pensionistas.

Porém, actualmente, a cifra subiu para os 165 mil e 990 pensionistas. Relativamente à base de segurados, no mesmo período, em 2020, o país detinha uma base de 1 milhão e 850 mil, tendo este ano o número passado para os 2 milhões de trabalhadores segurados. Quanto aos contribuintes, Pedro Filipe deu a conhecer que o país passou dos 182 mil contribuintes para os actuais 194 mil e 165 contribuintes. “É uma evolução extraordinária num período de um ano e, sobretudo, numa fase em que passamos por uma grande provação que foi o arrefecimento da economia, porque pela primeira vez foi declarado o estado de emergência em angola”, frisou.

Alargamento da prova de vida

Por outro lado, Pedro Filipe deu a conhecer que, para além do sistema de prova de vida presencial, o INSS adoptou o modelo de prova de vida por reconhecimento fácil que poderá ser feito sem que o pensionista se movimente de um lugar para outro.

De acordo com o responsável, a partir de qualquer parte do país ou mundo, os pensionistas angolanos poderão, doravante, fazer a sua prova de vida recorrendo às novas tecnologias e efectuar este importante registo de actualização dos seus dados para continuar a usufruir dos benefícios.