Primeiras carteiras profissionais dos artistas atribuídas em Junho

Primeiras carteiras profissionais dos artistas atribuídas em Junho

A União Nacional dos Artistas e Compositores, Sociedade de Autores (UNAC-SA) pretende entregar as primeiras carteiras profissionais aos membros em Junho do corrente ano, através da Comissão da Carteira Profissional empossada, ontem, nas suas instalações

Esta Comissão, que tem como presidente Victor Nataniel Narciso “Tany Narciso”, é composta por artistas dos vários prismas, como Carlos Baptista, António Fortunato ‘Tonito’, Chico Mádne, Teddy N’Singi, Marito Furtado, Adérito Rodrigues, Filipa António e Lourdes António.

O presidente da UNAC-SA, Zeca Moreno, durante o acto de tomada de posse dos membros, inserida no programa de acção do quadriénio 2019-2023, disse que espera seriedade e cumprimento dos prazos dos recém-empossados, isso, pela importância da matéria. O responsável aclarou que por ser um instrumento legal, deve ser alvo de aperfeiçoamento em função das épocas, sendo que o regulamento da Carteira Profissional dos Artistas está publicado em Diário da República, faltando apenas o melhoramento da mesma.

“O objectivo desta Comissão é de atribuir a carteira profissional aos artistas, o que está previsto em Diário da Republica, uma vez que vai valer para que seja cumprido os códigos de ética artística que existe e, também, o regulamento de disciplina dos talentosos”, explicou. No que diz respeito à política cultural no país, Zeca Moreno salientou que depois de uma consulta com os intervenientes das mais variadas disciplinas das artes, foi preparado um dossier com as principais inquietações para serem submetidas, em breve, ao Executivo.

Dignificar a classe

Sobre o assunto, Tany Narciso considerou o presento acto de extrema importância, que vai dignificar a classe, os fazedores de artes e permitir que sejam mais respeitados. Disse ainda que a acção da comissão deve significar a união, a consolidação da classe, para que os resultados pretendidos sejam visíveis. “Daí que vamos actuar em uníssimos, em perfeita coordenação com o presidente da UNAC-SA, no sentido de que os propósitos que levaram a criar esta comissão possam, de facto, dar os seus frutos. Não podemos pensar que será uma acção de forma subjectiva, mas deve ser feita para que cada fazedor de arte, ao exibir esta carteira em qualquer lugar, seja respeitado e, profissionalmente, aceite. A falta deste documento foi sentida por todos e vem, desta feita, propor a sua instauração neste momento, o que vai dignificar a classe”, perspectivou.

Quanto aos artistas que integram a comissão, da disciplina da música, da dança e do teatro disse que esta satisfeito com o perfil dos mesmos, que, segundo ele, vai ajudar bastante no trabalho que se pretende. Tany Narciso reconhece que os membros são mais activos no sector cultural do que ele, (embora seja um criador de arte) mas garante que os trabalhos serão realizados de forma consolidada. “Acho que cada um, na sua profissão, na sua forma de ser, irá dar o máximo de si. Tenho a certeza que poderemos contar com contribuições para valorizar o fazedor de arte. Estes membros são pessoas indicadas para o efeito, embora de diferentes gerações”, considerou.

Objectivos da UNAC-SA

A UNAC-SA é uma instituição de utilidade pública, criada há 39 anos, que congrega autores, compositores, músicos, dançarinos, actores e agentes de outras manifestações artísticas. Tem por objectivo estabelecer e implementar estratégias e acções que concorram para a promoção, desenvolvimento e defesa dos interesses sócio-profissionais da classe. A organização tem por finalidade específica a dinamização da dança, teatro e música, assim como a luta pela inserção profissional e, consequentemente, a afirmação social dos seus associados. Controla mais de 6 mil membros e tem representações nas províncias de Cabinda, Zaire, Malanje, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Moxico, Cuanza-Sul, Benguela, Huambo, Huila e Cunene.