Mais de 90 por cento dos refugiados em Angola têm documentos caducados

A informação é do coordenador-geral dos refugiados em Angola, Baba Njai, que revela a existência do “desperdício de conhecimentos” de médicos, professores e outros que estão impedidos de exercer a profissão devido à sua condição irregular de refugiados

Baba Njai, que falava . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta