Silêncio do inquérito do “Caso Cafunfu” preocupa Associação Mãos Livres

A preocupação foi manifestada pelo seu presidente, Guilherme das Neves, em conversa com o jornal OPAÍS, passados cinco meses depois dos funestos acontecimentos

No dia 30 de Janeiro do ano em curso, um grupo estimado em mais de 300 homens, munidos de armas, envolveu-se em . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta