MEA denuncia os meandros da inserção de fantasmas na Educação

MEA denuncia os meandros da inserção de fantasmas na Educação

O presidente do Movimento Estudantil Angolano (MEA), Francisco Teixeira, revelou, ao jornal OPAÍS, que nos concursos públicos anteriores muitos foram os detentores de cargos públicos, como directores e delegados municipais, que enquadraram filhos e sobrinhos para ganharem dinheiro, sendo que nunca apareceram nas escolas


Registe-se como Assinante ou inicie sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta