EUA dizem ser importante travar expansão do conflito no Médio Orient

EUA dizem ser importante travar expansão do conflito no Médio Orient

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse, ontem, Quarta-feira, ao seu homólogo chinês, Wang Yi, ser muito importante para todas as partes garantir que o conflito no Médio Oriente não alastre a outros paíse

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse, ontem, Quarta-feira, ao seu homólogo chinês, Wang Yi, ser muito importante para todas as partes garantir que o conflito no Médio Oriente não alastre a outros paíse o conflito se espalhe”, lê-se no comunicado, que relata a conversa telefónica entre Wang e Blinken.

O documento acrescenta ainda que o chefe da diplomacia dos EUA aproveitou a conversa para sublinhar “que os recentes ataques dos houthi contra navios comerciais no Mar Vermelho representam uma ameaça inaceitável à segurança marítima e ao direito internacional que todas as nações têm a obrigação de defender”.

Por seu lado, Wang Yi disse que a prioridade “máxima” no conflito Israel – Hamas deve ser o cessar-fogo. “A prioridade máxima é o cessar-fogo para acabar com os combates o mais rapidamente possível”, afirmou Wang Yi, de acordo com um comunicado emitido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

A guerra entre Israel e o Hamas, em Gaza, começou a 07 de Outubro, na sequência de um ataque surpresa do grupo islamita classificado como organização terrorista pelos Estados Unidos, a União Europeia e Israel – em território israelita que fez mais de 1.200 mortos e acima de 240 reféns levados para a Faixa de Gaza. Até à data, 122 reféns permanecem no enclave, bem como os corpos de outros 15 reféns confirmados como mortos.

Entretanto, os bombardeamentos israelitas já mataram cerca de 15.900 pessoas em Gaza, a maioria das quais mulheres e crianças.

As autoridades estimam que há mais de 7 mil desaparecidos sob os escombros, pelo que o número de mortos pode ser muito superior.