Não há inocentes

Não há inocentes

Eu costumava imaginar como seriam os discursos políticos nos países que no início deste século foram dados como Estados inviáveis, como a Guiné Bissau, a Somália, a Serra Leoa e o Afeganistão. Nós somos agora tidos por . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta