Carta do leitor: As enchentes

Carta do leitor: As enchentes

Caro coordenador, votos de bom trabalho! Já havia escrito, há alguns dias, sobre o que se passa nas habituais paragens de táxi. Começaram as aulas, mas, ao que tudo indica, não há registo de melhorias quanto ao aumento de serviços para que os cidadãos possam se deslocar de casa para os seus locais de emprego e vice-versa.

Ontem, quando me dirigia ao escritório, ouvi uma reportagem horripilante da rádio Luanda, na qual as pessoas descreviam as peripécias por que têm que passar para ter acesso aos táxis e outros meios de transporte. Esse era o quadro existente antes mesmo do início das aulas. Cremos que, nesta fase, a situação seja mais preocupante por causa do aumento da procura, o que vai fazer com que os taxistas diminuam as corridas e os autocarros continuem mais preenchidos, sem vagas para os mais novos, o que vai facilitar a disseminação do vírus no seio da nossa população.

Seria bom que os responsáveis da Saúde, da educação e outros voltassem a reunir com os responsáveis das operadoras para que se evite este quadro negro que vai sendo traçado. Estamos cientes de que vivemos um momento crítico, mas, ainda assim, pode-se fazer algo para que evitemos o pior. Que Deus abençoe Angola!

POR: Samuel Lourenço
Viana