Carta do leitor: “Sensibilização, precisa-se”

Carta do leitor: “Sensibilização, precisa-se”

Caro coordenador do magnífico OPAÍS, há muito que não percorria longas distâncias, tudo por conta da Covid-19. No Sábado, 01 de Maio do corrente ano, resolvi ir ao encontro de alguém na Vila de Cacuaco.

O que vi, não alegra aquele, cujo desejo é ver erradicada a Covid-19. E isso, deita por terra, todo o esforço até agora envidado pelo Executivo. O que vi afinal? Ao viajar para Cacuaco, logo ao entrar para o autocarro “apanhado” nas imediações do “Desvio do Zango”, vi que nem tudo está bem. Dentre muito, notei que, os autocarros em que viajei, tanto no sentido ascendente quanto no sentido descendente, isto é, ao regressar para Camama (minha área de jurisdição), além de não ter um cobrador, não havia balde de água, álcool em gel, muito menos se respeitava o mínimo de distância recomendada.

Os passageiros viajavam apertadíssimos, a centímetros de distância e muito deles não faziam o uso correcto da máscara facial. O motorista que fazia, ao mesmo tempo, o papel de cobrador, pareceu-me não se importar com as medidas pré-estabelecidas, tendo se limitado só a “ lotar” o autocarro e a receber dinheiro dos viajantes.

O mesmo se verificou nos candongueiros que me levou até ao “Desvio do Zango”, apesar de que, para estes, havia um cobrador. Por sua vez, durante a viagem, vi em muitas paragens, gente aglomerada, dançando e a consumir bebidas alcoólicas, a escassos metros duma Esquadra Policial, que nem vale mencionar a sua real localização.

Diante destes factos e muito mais, conclui que, é em vão os Decretos Presidenciais que foram e virão a ser exarados. É em vão, todo o esforço envidado, já que, mesmo depois de tanto esforço, continuamos a ter novos casos de Covid-19 em altas escalas e taxas altas de mortalidade pelas razões já adiantadas, principalmente se não se levar em consideração a sensibilização, que acho ser um bom mecanismo, para diminuir a disseminação do vírus.

Julgo que, mais do que Decretos e multas, que, em muitos casos não são aplicadas como manda a Lei, precisamos usar a sensibilização como arma para combater, o invisível, mortífero vírus da maldita Covid-19. Ainda vamos a tempo de corrigir… Juntos é possível.

Por: Valentino Frederico,
Camama