Editorial: Angola e China

Editorial: Angola e China

Com uma relação que já perdura há mais de quatro décadas, responsáveis de Angola e da China voltaram a reunir-se à mesma mesa para discutirem os caminhos da cooperação.

Aconteceu em Beijing, onde rubricaram um instrumento Jurídico legal de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos (APPRI), no âmbito do fortalecimento da cooperação bilateral.

Com as assinaturas do chefe da diplomacia angolana,Téte António, e o ministro do Comércio chinês, Wang Wentao, o documento visa promover uma maior cooperação económica, estimular o fluxo de capitais e o desenvolvimento económico, além de garantir um quadro estável, transparente e não discriminatório para o investimento entre Angola e a China.

Os APPRI são acordos bilaterais que têm como finalidade demonstrar aos investidores internacionais a existência de um mecanismo legal e de segurança para a realização dos seus investimentos.