Recepção apoteótica aos Palancas Negras

Recepção apoteótica aos Palancas Negras

A melhor campanha da história do futebol angolano foi a qualificação da Selecção para o Mundial de Futebol na Alemanha, em 2006.

Mas não há como negar que a brilhante campanha no CAN 2023 também teve muito destaque, não só pela chegada aos quartos-de-final, mas sobretudo pela magia de voltar a unir uma Nação inteira à volta da sua Selecção.

Uma recepção apoteótica aguardava os Palancas Negras a chegada a Luanda. Centenas de adeptos, incluindo muitas crianças, esperaram pela aeronave que trazia os internacionais angolanos depois do brilharete na Côte d’Ivoire.

Quando os jogadores, finalmente, chegaram, foi a loucura total. A corrida aos autógrafos obrigou a que a Polícia tomasse algumas medidas para que os jogadores conseguissem chegar à viatura. Já no trio eléctrico, os jogadores foram ovacionados por centenas de populares num desfile por algumas artérias da cidade capital.

Empunhando Bandeiras da República, os angolanos demonstraram todo o carinho pela excelente representação na Côte d`Ivoire.

No momento mais alto da homenagem, a ministra da Juventude e Desportos, Palmira Barbosa, garantiu o apoio do Governo na criação de condições de preparação para o apuramento ao CAN 2025 e eliminatórias para o Campeonato do Mundo de 2026.

Ficou mais uma vez provado que o investimento e a promoção da formação dos jovens futebolistas são cruciais para o desenvolvimento sustentável do desporto a todos os níveis.

Muitos dos atletas que representaram a Equipa Nacional no CAN são provenientes da formação de muitos clubes que apostaram sempre na descoberta e lapidação de novos talentos.

Se queremos ir a competições e vencer, temos de contar com jogadores com uma cultura técnico-táctica e preparação físicoatlética irrepreensíveis. Por isso, este deve ser o único caminho para o alcance de mais vitórias do nosso futebol.

 

Por: Luís Caetano