Órfãos do 27 de Maio em Angola renovam apelo para recuperação dos restos mortais de familiares

O Governo angolano, na voz do seu ministro dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, já reconheceu, em Novembro de 2018  ter havido, da parte do Governo de então, uma "reação excessiva aos acontecimentos que se seguiram à tentativa de golpe de Estado", levada a cabo pelos que ficaram conhecidos . . .


Registe-se ou inicie sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta