Adalberto Costa Júnior quer encontro com João Lourenço

Adalberto Costa Júnior quer encontro com João Lourenço

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, disse, neste Sábado, que vai pedir rapidamente um encontro ao Presidente da República, João Lourenço, para juntos encontrarem um caminho que permita fazer do país um lugar bom para todos os angolanos.

Adalberto Júnior garantiu que vai usar, sem limites, todos os poderes, enquanto Conselheiro da República, para aconselhar o Presidente João Lourenço de forma a construir uma Angola sem “instituições partidarizadas sujeitas ao ditames do partido único”.
O presidente da UNITA e líder da Frente Patriótica Unida (FPU) fez estes pronunciamento ao intervir numa marcha realizada na tarde deste Sábado, em Luanda.
“Angola tem futuro, queremos as reformas que o país precisa. O nosso inimigo comum é o Estado partidário, o partido único, e desta vez expusemos sem limite as instituições partidárias e vamos continuar a luta dentro e fora das instituições”, frisou.
Durante o evento, Adalberto Costa Júnior reafirmou a ideia de que a UNITA ganhou as eleições e que a vitória “foi roubada ao povo que votou corajosamente a 24 de Agosto”.

Libertação de activistas

No comício, Adalberto Costa Júnior e seus correligionários insistiram na urgência de libertação de jovens a que classificaram de “presos de consciência e políticos”, bem como apelaram à realização de eleições autárquicas em 2023, para alegadamente “combater a fome, a pobreza e o desemprego”.
A luta contra o alegado “Estado partidário e pela sujeição do regime à vontade popular” , segundo Costa Júnior, é outro dos “males” a combater.
O líder do “Galo Negro” disse ainda estar consciente de que “muitos queriam ver o povo a lutar nas ruas pela alteração das instituições do Estado pela força” e garantiu que “esse não é o seu caminho nem o caminho da FPU”.
“Sabemos que há angolanos que estavam a pedir o derrube das instituições por vias não-democráticas, na rua, mas nós não concordamos com esse caminho… Mas vamos chegar lá num percurso sem sangue, com orgulho, todos juntos por Angola”, disse.
Salientou ainda que os 90 deputados eleitos pela UNITA entraram no Parlamento e ele próprio tomou o seu lugar no Conselho da República para a partir destas instituições ajudar a construir o futuro de Angola, que vai ser “diferente e melhor”.
“Entramos no Parlamento, tomei posse no Conselho da República e vou usar os meus poderes para aconselhar até o limite João Lourenço, sem dúvida, para construir uma Angola diferente para os angolanos… vou ajudar João Lourenço e vou-lhe pedir já um encontro para fazer de Angola um país melhor…”, informou.