Especialistas esperam que fornecimento de divisas ao país entre na agenda do encontro entre João Lourenço e Joe Biden

Especialistas esperam que fornecimento de divisas ao país entre na agenda do encontro entre João Lourenço e Joe Biden

Especialistas ouvidos por este jornal, a propósito do encontro que o Presidente João Lourenço mantém hoje, Quinta-feira, 30, com o seu homólogo americano, Joe Biden, na Sala Oval, sugerem, embora não conste da agenda anunciada, que os dois presentes dediquem espaço para falar do fornecimento de dólares para Angola, mas aconselham evitar erros do passado

A dupla presidencial, de acordo com o programa a que este jornal teve acesso, vai debater os passos de aprofundamento da cooperação bilateral a nível do comércio, investimento, clima e energia, bem como o desenvolvimento da parceria para infra-estruturas e investimentos globais do Presidente Biden para o Corredor do Lobito.

Em relação ao Corredor do Lobito, os EUA já injectaram 200 milhões de dólares, parte dos 500 milhões do investimento global do consórcio. Conforme sublinhou o Presidente norte-americano, recentemente, o pacote financeiro vai para lá dos valores ora investidos. Especialistas e a direcção do CFB consultados por este jornal associam esse interesse ao reforço da posição estratégica em África, para além de que o transporte de minério da RDC para Angola seja um negócio bastante lucrativo. “Olha, o consórcio Lobito Atlântic Railway vai lucrar com o minério.

Eu estou em crer que daqui a alguns anos o consórcio vai ter o retorno do investimento feito”, avançou, sob anonimato, uma fonte do CFB. Em relação à questão das divisas, o especialista em direito interna- cional, Jair Sambo, disse que não existe ninguém capaz de solucionar o problema senão o próprio Estados Unidos da América. Aliás, sustenta, é por lá onde tudo começou.

“É mesmo só o Estados Unidos que pode resolver esse problema, e há uma grande expectativa”, considera o especialista. Jair Sambo coloca o acento tónico naquilo a que chama de boa diplomacia do Presidente João Lourenço, associado, como disse, ao combate à corrupção. Sambo tem nessa estratégia o meio por via do qual Angola terá chamado atenção ao mundo, mas não deixa de parte o papel desempenhado por Angola na região Austral do continente.