Mário Oliveira com foco na expansão e melhoria das comunicações no país

Mário Oliveira com foco na expansão e melhoria das comunicações no país

O recém-empossado ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira, afirmou, ontem, que o pelouro que agora dirige vai continuar a apostar na expansão dos serviços de telecomunicação, bem como na melhoria da comunicação social em todas as vertentes

A formação de quadros e uma governação de proximidade constam ainda das prioridades do novo ministro.

Mário Oliveira fez estas declarações no acto de passagem de pastas, que decorreu ontem, no Palácio das Comunicações, em Luanda.

Mas antes, o ministro cessante, Manuel Gomes da Conceição Homem, que procedeu à passagem de pasta ao novo titular do pelouro, agradeceu o apoio de todos os membros dos sectores envolventes do MINTTICS, afirmando sair com o sentimento de dever cumprido.

Manuel Homem referiu que o desafio que recebeu, a cerca de dois anos, permitiu criar um espírito de camaradagem entre todos os que consigo laboraram, bem como dedicar-se, de forma pessoal, a fim de compreender os fenómenos que ocorriam nos sectores das telecomunicações e na comunicação social.

“Hoje, sinto que o dever foi cumprido, e é o momento de entregar o facho, para que os grandes desafios deste sector continuem a ser materializados com o ministro Mário Oliveira”, asseverou.

Por seu turno, o novo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), Mário Augusto da Silva Oliveira, apontou a expansão dos serviços de telecomunicações, a melhoria da comunicação social, em todas as vertentes, e a formação de quadros como os grandes desafios a seguir.

Segundo o ministro, trata-se de três vertentes de capital importância para alavancar o sector, garantir mais e melhor qualidade dos serviços prestados às populações.

Destacou ainda a execução de acções tendentes à criação de um cyber- espaço seguro, para dar resposta aos actuais desafios das novas tecnologias de informação, trabalhando na protecção de dados e das redes.

De acordo com o governante, nos dias que correm, as tecnologias estão cada vez mais abertas e dinamizadas, sendo, também, uma fonte de crimes de invasão da privacidade, de furto de documentos, muitas vezes confidenciais, daí que pretende apostar seriamente na questão da protecção de dados e das redes.

“Com isso, estaremos a proteger o nosso país, e por isso a cyber-segurança será uma das nossas grandes bandeiras”, afirmou.