Presidente da República visita terceiro maior kimberlito do mundo

Presidente da República visita terceiro maior kimberlito do mundo

O Presidente da República, João Lourenço, vai visitar o projecto mineiro do Luaxe, localizado na Lunda Sul, que é considerado o terceiro maior kimberlito do mundo, por ter reservas estimadas em 350 milhões de quilates e 30 anos de tempo útil de vida

O Titular do Poder Executivo trabalha hoje e amanhã nesta província, onde vai dirigir igualmente uma reunião com os membros do governo local e proceder à inauguração do referido projecto mineiro. À chegada à cidade de Saurimo, João Lourenço rumará para a localidade de Luaxe, no município de Saurimo, onde vai inaugurar o projecto mineiro com o mesmo no- me, de acordo com informações a que OPAÍS teve acesso.

De seguida, o Presidente da República deverá reunir com o governo local, de quem receberá explicações relativas ao estado da província e o grau de execução dos projectos de investimento público. Mina do Luaxe Segundo apurou o jornal OPAÍS, além de ser considerado o maior projecto diamantífero do país, Luaxe é o terceiro maior kimberlito do mundo, cujas reservas estão estimadas em 350 milhões de quilates e 30 anos de tempo útil de vida.

A inauguração do projecto mineiro do Luaxe já havia sido anunciado pelo Presidente da República em Outubro último, aquando do discurso sobre o Estado da Nação. Mas a corrida para a instalação das centrais de tratamento e outras estruturas deste depósito primário foi anunciado em 2017, através da assinatura pública da constituição da Sociedade Mineira de Luaxe e do “me- morando de entendimento entre a ENDIAMA e a Alrosa”, com um investimento estimado em 350 milhões de dólares americanos. Nessa altura, previa-se em que o projecto entrasse em funcionamento em finais de 2021 ou início de 2022, tão logo as instalações estivessem concluídas.

Desde Janeiro deste ano o Executivo tem reiterado o anúncio sobre o funcionamento do projecto com a intensificação de trabalhos para o efeito. No passado mês de Setembro, o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás visitou a mina e, após avaliar a zona de exploração e a central de tratamento minério e outras componentes da conhecida “time one”, considerou a avaliação positiva para as condições do seu arranque. O projecto tem capacidade para 1. 500 trabalhadores e, numa primeira fase, a expectativa é que atinja pouco mais de 1 milhão de quilates por ano.