Feminismo e deficiência abordados no COP28

Feminismo e deficiência abordados no COP28

A reunião COP 28, que decorre nos Emirados Árabes Unidos – Dubai, para além de outros assuntos também está a servir para debater assuntos sobre o feminismo e deficiência, numa altura em que, ontem, 3 de Dezembro, se assinalou o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

O activista angolano, defensor e formador dos direitos das pessoas com deficiência, Adão Ramos, que integra uma delegação da Aliança Internacional da Deficiência (IDA), participa no referido encontro, para garantir a inclusão das pessoas com deficiência nos debates sobre as mudanças climáticas.

Numa nota que enviou à redação do jornal OPAÍS, Adão Ramos disse que uma abordagem interessante sobre o feminismo e deficiência, em que participou, versou-se sobre as mulheres com deficiência que enfrentam desafios específicos em termos de igualdade de gênero.

“Nos debates sobre o feminismo introduzi a importância de reconhecer e abordar as interseções entre gênero e deficiência, promovendo uma inclusão mais abrangente nos diálogos feministas, defesa muito aplaudida, pela pertinência da abordagem e conhecimento dos temas”, sustenta.

O activista disse que o papel é abordar e influenciar para que questões como a acessibilidade, representação e empoderamento das pessoas com deficiência tenham destaque e sejam fundamentais para uma discussão abrangente e inclusiva.

A sua participação e a do presidente da Federação Moçambicana das Associações de Pessoas com Deficiência (FAMOD), Cantol Pondja, ocorre em representação dos Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP). A COP 28, ou Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas Sobre as Alterações Climáticas (UNFCCC), que é o órgão responsável pelo clima, é a 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças, que está a ser realizada desde o dia 30 de Novembro e irá até 12 de Dezembro.

A Conferência é realizada anualmente desde o primeiro acordo climático da ONU, em 1992. As conferências COP destinam- se a que os governos cheguem a acordo sobre políticas para limitar o aumento da temperatura global e se adaptarem aos impactos associados às alterações climáticas. Estão a participar milhares de delegados de todo o mundo, também para celebrar, simultaneamente, a Conferência das partes do Protocolo de Kyoto e a das 195 partes do Acordo de Paris de 2015.

Estão em debate os impasses a respeito das metas de redução de emissão de gases do efeito estufa e das políticas de compensação aos países mais pobres e atingidos pelas mudanças climáticas sobre Mudanças, que está a ser realizada desde o dia 30 de Novembro e irá até 12 de Dezembro. A Conferência é realizada anualmente desde o primeiro acordo climático da ONU, em 1992. As conferências COP destinam- se a que os governos cheguem a acordo sobre políticas para limitar o aumento da temperatura global e se adaptarem aos impactos associados às alterações climáticas.

Estão a participar milhares de delegados de todo o mundo, também para celebrar, simultaneamente, a Conferência das partes do Protocolo de Kyoto e a das 195 partes do Acordo de Paris de 2015. Estão em debate os impasses a respeito das metas de redução de emissão de gases do efeito estufa e das políticas de compensação aos países mais pobres e atingidos pelas mudanças climáticas.