Mais de duzentos mil cidadãos elevam conhecimentos sobre nutrição

Mais de duzentos mil cidadãos elevam conhecimentos sobre nutrição

Duzentos e 40 mil cidadãos dos municípios do Bailundo, Huambo e Mungo iniciaram, essa terça-feira, a elevar os conhecimentos sobre nutrição, numa iniciativa da organização não-governamental internacional People In Need (PIN)

Inserido no projecto Sociedade Civil para a Nutrição, o programa será implementado durante os próximos três anos, em parceria com a organização não-governamental angolana Associação para o Desenvolvimento e Enquadramento Social da População Vulneráveis (ADESPOV), num custo avaliado em um milhão e 111 mil Euros.

O projecto prevê também a capacitação de 300 actores sociais, distribuídos nas áreas da educação, saúde, ambiente e energia e água, para além dos administradores municipais, autoridades tradicionais e religiosas.

Com esta medida, as organizações não-governamentais pretendem somar esforços relacionados com o fortalecimento estratégico e o empoderamento das comunidades nos assuntos sobre o combate à malnutrição e, consequentemente, reduzir a taxa da mortalidade.

Dados divulgados, recentemente, pelo gabinete da Saúde na província do Huambo apontam para o registo, entre de Janeiro e Outubro do corrente ano, de 5 mil e 226 casos de malnutrição, contra 5 mil e 280 do igual período de 2022.

Desta cifra, apurou a ANGOP, 226 crianças menores de cinco anos morreram, enquanto em 2022 foram 266.

Durante a sessão do lançamento do projecto, o director do gabinete local da Saúde, Mário Costa Rodrigues, enalteceu os esforços das organizações não-governamentais (PIN e a ADESPOV) no empoderamento das comunidades em matéria de nutrição.

O responsável, que falava em representação da governadora da província do Huambo, Lotti Nolika, reafirmou o desejo do Governo local em continuar a trabalhar com diversos grupos sociais na combinação de esforços para responder aos diferentes desafios, focados no bem-estar das comunidades, no sentido de se promover o desenvolvimento social e económico.

O director-geral da ADESPOV, Julião Agostinho, disse que as comunidades serão empoderadas, através da formação dos actores que intervêm na cadeia da nutrição, com a participação de vários sectores para ganhar uma perspectiva multidimensional e, ao mesmo tempo, elevar os conhecimentos nesta matéria.

O projecto Sociedade Civil para Nutrição abrange as províncias do Huambo e da Huíla, onde se pretende alcançar 540 mil crianças, adolescentes e mulheres adultas, incluindo 150 representantes das autoridades governamentais, 90 líderes religiosos e igual número de autoridades tradicionais.

O PIN é uma organização nãogovernamental de origem checa, que trabalha em Angola desde 2006 nas áreas da educação, segurança alimentar e nutricional, saúde comunitária, água, saneamento e higiene, protecção à criança, género, sociedade civil e direitos humanos.