Relatório da ONU fala em mais e 280 mil usuários de drogas

Relatório da ONU fala em mais e 280 mil usuários de drogas

O último Relatório Mundial sobre Drogas 2022, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), lançado em Junho de 2022 revela um aumento record na fabricação de cocaína, expansão de drogas sintéticas para novos mercados e lacunas contínuas na disponibilização de tratamentos para usuários de drogas, especialmente para as mulheres. De acordo com o relatório, cerca de 284 milhões de pessoas, na faixa etária entre 15 e 64 anos, usaram drogas em 2020, o que corresponde a 26% a mais do que dez anos antes.

Os jovens estão a usar mais drogas, com níveis de uso em muitos países superiores aos da geração anterior, de acordo com o relatório. Em África e na América Latina, as pessoas com me- nos de 35 anos representam a maioria das pessoas em tratamento devido a transtornos associados ao uso de drogas. Globalmente, o relatório estima que 11,2 milhões de pessoas no mundo estavam a injectar drogas em 2020. Cerca da meta- de deste número vivia com hepatite C, 1,4 milhões com HIV, e 1,2 milhões viviam com ambos. Ao comentar esses dados, a directora-executiva do UNODC, Ghada Waly, disse que emergências globais, como a de Covid-19, ampliaram as vulnerabilidades e não impediram que as estatísticas de apreensão e fabricação de muitas drogas ilícitas atingissem níveis recordes.

“Ao mesmo tempo, as percepções erróneas sobre a magnitude do problema e os danos associa- dos estão a privar as pessoas de cuidados e tratamento, e levando os jovens a comportamentos prejudiciais. Precisamos destinar recursos e atenção necessários para abordar todos os aspectos do problema mundial das drogas, incluindo o fornecimento de cuidados baseados em evidências a todos os que deles necessitam”, sublinhou. O relatório também enfatiza a importância de mobilizar a comunidade internacional, os governos, a sociedade civil e as partes interessadas a tomarem medidas urgentes para proteger as pessoas, inclusive fortalecendo a prevenção ao uso de drogas e o tratamento por meio da oferta de drogas ilícitas.